Programa Virtual
Ajudar

 

Dor de Cabeça e a Pressão Alta: Verdades e Inverdades

Anterior   Próxima

08 de janeiro de 2008.

     A hipertensão arterial sistêmica ” uma doença muito comum no mundo inteiro. Provavelmente todos nós conhecemos pelo menos um amigo ou um parente que ” portador dessa doença. O reconhecimento, isto ”, o diagnóstico e o tratamento da hipertensão ” muito importante, pois ela, se não tratada, aumenta o risco para problemas vasculares, tais como isquemia cerebral e infarto agudo do miocárdio.
     O diagnóstico da hipertensão ” feito atrav”s de várias verificações da pressão arterial nos Postos de Saúde ou nos consultórios m”dicos. O grande mist”rio ou mesmo o grande problema para o diagnóstico da hipertensão ” que, na sua grande maioria, ela não produz sinais nem sintomas específicos relacionados a si mesma. A maior parte dos pacientes hipertensos vivem, trabalham e tem suas atividades habituais sem sentir nada e muitos deles nem sabem ainda que são hipertensos. A hipertensão só vai produzir sintomas nos estágios muito avançados da doença, tais como falta de ar, dores no peito e at” mesmo isquemia cerebral.
     No dia-a-dia, ” muito comum as pessoas atribuírem erroneamente diversos sintomas à hipertensão, sendo, às vezes, assunto de rodas de chimarrão, como, fulano sente isso ou aquilo quando está com a pressão alta. Dessa maneira, as pessoas não só estão criando como tamb”m estão passando informações não verdadeiras sobre o assunto e ainda, muitas vezes, alimentando crendices populares. Entre os sintomas mais famosos está a dor de cabeça cientificamente chamada de cefal”ia. 
     Diversos estudos estão sendo realizados na intenção de caracterizar os vários tipos de cefal”ia, sua prevalência e associação com hipertensão. Sabe-se que a cefal”ia afeta 66% a 99% dos indivíduos adultos, quando as mulheres se referem mais freqüentemente a esse problema, com episódios de enxaqueca.
     Entre os episódios de cefal”ia, temos:
-A cefal”ia pulsátil: unilateral intensidade moderada a severa, agravada pela atividade física, causando náusea, vômito, fotofobia ou fonofobia (que caracterizam a enxaqueca), ocorre em 7% a 28% dos casos.
-A cefal”ia tenciona crônica: não pulsátil, intensidade leve a moderada, de localização nas têmporas bilateralmente, não agravada pela atividade física, com duração entre 30 minutos a sete dias, ocorrendo em 180 dias ou mais durante o ano, geralmente relacionada a estados de ansiedade ou fadiga crônicos
-A cefal”ia tenciona episódica: mesmas características da anterior, com freqüência menor do que 180 dias no ano, geralmente relacionada a estados de ansiedade ou fadiga momentâneos.
     Estudos mais antigos relatam que não há associação entre cefal”ia e a hipertensão, não importando quão os valores da pressão.
     Recentemente, investigaram-se pacientes com hipertensão leve a moderada, submetidos à monitorização ambulatorial da pressão arterial (MAPA), os quais registraram em diários suas atividades usuais e ocorrência, características e duração dos episódios de cefal”ia, onde se constatou ausência de elevação na pressão arterial antes, durante e após o episódio de cefal”ia.
     Isto deixa claro que não há associação entre níveis pressóricos e queixa de cefal”ia. Mais do que isso, deve-se levar em consideração que ” a dor, seja ela qual for o tipo, ou os estados de angústia e tensão, que faz a pressão arterial subir. Essa relação entre dor/angústia e pressão alta ” um estado normal e fisiológico que deve se esperar em qualquer indivíduo, porque essas situações liberam certos tipos de hormônios (adrenalina e noradrenalina) que naturalmente promovem o aumento da pressão. Passados esses estados de dor ou angústia, a pressão tamb”m volta ao normal.
     No entanto, não se pode descartar que em alguns casos (estágios iniciais de elevação da pressão arterial, hipertensão secundária ou hipertensão grave) não haja qualquer associação entre queixa de cefal”ia e pressão arterial, por”m, esses casos são raros e não pode haver uma generalização.
     Concluindo, ” necessário abandonar a crença de que a elevação da pressão arterial seja a causa da cefal”ia, principalmente em se tratando de cefal”ia tencional (dor nas têmporas ou na nuca) e de cefal”ia enxaquecosa. E tamb”m devemos ter em nossa mente que qualquer tipo de dor ou tensão faz com que a nossa pressão arterial suba.

VISITE O NOSSO SITE E LEIA MAIS NOTíCIAS E DICAS SOBRE SAÚDE
http://www.icca-rs.com.br

Autor:   Paulo Ricardo Nazário Viecili

Fonte:   ICCA

Rua Domingos Veríssimo, 636 - Centro - Cruz Alta - RS

Central de Atendimento - ICCA

Fone: (55) 3322.6463 - Fax: (55) 3322.6463 | secretaria@icca-rs.com.br

2014 © ICCA   |   Desenvolvido pela Netface   -   Mapa do Site   |   Indique o Site